O papel do orientador

Afinal, para que serve um orientador? Para nos desorientar?

Na-na-ni-na-não!

Serei rápida no gatilho nesse post, e responderei de forma bem objetiva, sem ladainhas.

O seu orientador é, na verdade, o sócio majoritário do seu trabalho. Seja ele qual for (TCC, mestrado, doutorado, especialização, iniciação científica….). Ele é o dono do seu trabalho. Você também é, mas ele tem 51% das ações. E você, se tiver sorte, tem 49% hahahahaha.

E o que isso implica na prática?

Apesar de você ser o autor do trabalho, ele é o coordenador. Então todas as decisões devem passar pela aprovação dele. Isso não quer dizer que é uma guerra, muito pelo contrário. Quer dizer que você não é dono do seu nariz e vai escrever uma receita de miojo no seu TCC. A não ser que você queira trollar, para ser então ejetado pela banca. Também não quer dizer que o trabalho não terá a sua cara. Vocês podem muito bem entrar num consenso, e geralmente o orientador vai concordar com as suas ideias e sugestões.

Por isso, a minha grande dica é:

Escolha um orientador com quem você tenha afinidade, por quem você sinta admiração. Com quem você gostaria de trabalhar e de quem você gostaria de receber ORIENTAÇÃO. Dê preferência àqueles que trabalham na área que você se interessa.

E por falar em área / tema, sabem qual será o próximo post? A escolha do tema!

Você já escolheu o tema do seu TCC? Está em dúvida? Sabe quais são os principais critérios para a escolha de um tema?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *